Páginas

sábado, 9 de maio de 2015

Interferências externa, por políticos, na Polícia Militar, só dá nisso!

sempre me posicionei contra a nomeação de políticos, delegados federais, para a secretaria de segurança pública. Os primeiros porque só sabem fazer política e na maioria das vezes são convinientes e comprometidos com atitudes eleitoreiras; os segundo porque pertencem a uma organização que sofre pelo efetivo reduzido e não conseguem combater o tráfico de armas, de tóxicos, de pessoas, na grande extensão fronteiriça brasileira, além de serem treinados para investigações profundas, demoradas, diferente das ações de policia que tem que ser imediata, urgentes, sem tempo de rebuscar manuais ou normas de ação. Mas, os governadores continuam , no risco iminente de ações "políticas" incompetentes, nomeando essas pessoas em detrimento de profissionais da área.
Veja o que aconteceu no Paraná:
Manifesto da FENEME em apoio a Polícia Militar do Paraná é contra as declarações do Secretário de Segurança do Estado do Paraná Fernando FrancischiniOUTRAS NOTÍCIAS

Manifesto da FENEME em apoio a Polícia Militar do Paraná é contra as declarações do Secretário de Segurança do Estado do Paraná Fernando Francischini

Postada , 08 Maio, 2015 às 11:07
A Federação Nacional dos Oficiais Militares Estaduais (FENEME), representante de 39 entidades de Oficiais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil em 23 estados da federação mais o Distrito Federal vêm, perante a sociedade paranaense e brasileira, manifestar o apoio à Polícia Militar do Paraná e repudiar as declarações do Secretário Fernando Francischini veiculadas pela imprensa, de 04 de maio de 2015, em que atribui unicamente a Polícia Militar a responsabilidade pela operação policial que, atendendo determinação judicial, impediu a invasão da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná por manifestantes, ocasionando diversos feridos, policiais e manifestantes.
 
Outro poderia ter sido o desfecho se o Estado do Paraná não se arvorasse a contrariar norma federal, Decreto-Lei 667/1969, que confere autonomia operacional ao Comando da Polícia Militar, concedendo, por meio da lei estadual nº 16.575/2010, subordinação operacional da Polícia Militar ao Secretário de Segurança.
 
Os fatos no Brasil e no exterior já demonstraram o quanto é maléfico para uma polícia ser conduzida por políticos. Políticos devem fazer políticas, que orientarão as polícias, mas não comandar polícias.
 
A FENEME confia que a Polícia Militar do Estado do Paraná, instituição com quase dois séculos de existência e excelentes serviços ao povo paranaense, e por meio de seu Comando, saberá identificar os policiais militares responsáveis por eventuais excessos, e se for o caso, responsabilizando-os administrativamente ou encaminhando os inquéritos policiais militares para as responsabilizações no âmbito da Justiça.
 
Da mesma forma a FENEME espera que os responsáveis pelas agressões aos policiais militares e ao patrimônio público sejam responsabilizados civil e criminalmente.
 
Esperamos que as autoridades constituídas do Estado do Paraná reflitam sobre o episódio e tirem uma lição sobre os fatos, principalmente restabelecendo a autonomia operacional da Polícia Militar do Paraná impedindo que episódios como ocorreram em relação ao Deputado Federal e Secretário Fernando Francischini, voltem a ocorrer.
 
Brasília, 07 de maio de 2015

MARLON JORGE TEZA
Coronel PM - Presidente da FENEME
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário